Artigo de Opinião

Quando entrei no Politeia, ainda no longínquo 2012, era um novato como qualquer outro. Não houve, para além do treinamento, qualquer tipo de ajuda ou apoiamento – estava sozinho. Tive que aprender na prática sobre o regimento e sobre as articulações. Os anos se passaram (seis para ser exato), e lá estava eu presidindo a mesa. É no fim que lembramos como tudo começou.. Foram muitos amigos criados ao longo dos anos, muitos projetos apresentados (cerca de 60), reuniões, articulações, atribulações, mas principalmente muito conhecimento adquirido. Nesta presidência, busquei dar voz e espaço aos que não possuiam. Dei aos simulantes de primeira legislatura aquilo que não me foi oferecido. Para exemplificar: 76% da pauta do plenário foi formada pela autoria de deputados de primeiro mandato. Nesta edição de 2017 tivemos um crescimento na qualidade e na quantidade de projetos, no entanto, 57% do total de projetos foram confeccionados por 8 pessoas. É pouco. Aos que ficarem ou que irão simular ano que vem, não tenham medo de suas pautas. O impossível torna-se possível se vocês quiserem. O Politeia é um projeto para o futuro, e como tal, é nesse futuro que deve estar seu destaque! Abraços de um eterno apaixonado por este projeto, Juan Carlos Presidente da Câmara dos Deputados – edição 2017

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.