CCJC: “Essa guerra às drogas só afeta os periféricos”