CSPCCO é paralisada por manobra de líder do PSDB

Deputados debatem projeto que permite porte de armas de fogo. Foto: Maysa Camelo.
Deputados debatem projeto que permite porte de armas de fogo. Foto: Maysa Camelo.
Deputados debatem projeto que permite porte de armas de fogo. Foto: Maysa Camelo.

Novamente, o projeto do deputado Isaac Simas (PT) que permite aos civis a posse e o porte de armas de fogo foi motivo de debate na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO). Em reunião desta manhã, o deputado Ismael Júnior (PSDB) apresentou à mesa o requerimento de adiamento da discussão do PL 041/2018, . O requerimento foi negado e ele então pediu a verificação por voto nominal, sendo feita a verificação, foi comprovado que não continha quórum suficiente para seguimento. A reunião que continha quinze deputados no início, no momento da votação havia somente oito, sendo cinco favoráveis ao adiamento e três contrários.

No início da manhã, a CSPCCO foi iniciada e houve inclusive votação a favor do PL 106/2018, mas retomando ao PL 041/2018, já que na tarde de terça-feira (17) foi adiado para reunião seguinte. Porém, os deputados e o relator, que lutam pela aprovação, saíram da sala para evitar quórum.

A deputada Giovanna Pinto Lemos (PR) pondera que a reunião foi paralisada pela oposição por não terem maioria no voto. “Fizeram diversas manobras para obstruir o debate, que está se arrastando desde ontem a tarde, já foi muito debatido a pauta e eles estão tentando cercear o debate porque eles têm minoria. Fica muito difícil conduzir [a reunião] assim”.

Em resposta às alegações da manobra o relator, o deputado Matheus Menck (PSB), após sair da reunião, disse que não se tratou de manobra. Ele informou que ele e outros deputados que fazem parte da Comissão tiveram de sair para participar de outra votação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC). “Na verdade se aplica a capacidade de um melhor diálogo tendo em vista diversas pautas em outras comissões que requerem uma atenção maior também”.

Também sendo contrário à manobra feita pelo líder do PSDB, o deputado Henrique Magalhães (PDT) assim como a deputada Giovanna Pinto (PR) afirmaram que já passou da hora de o PL ser votado e a oposição vem criando empecilhos. “Deram prioridade a outras comissões e abriram mão de uma tema que é bastante polêmico e pertinente aqui. Fugiram do debate por ter minora e simplesmente se acovardaram e não vieram aqui fazer o que é o trabalho deles”.

O PL está sendo debatido na reunião da CSPCCO desta tarde.

 

Compartilhe: