Discussão sobre zoológicos gera divergências na Comissão de Educação e Cultura

A comissão de direitos humanos votou nesta segunda feira (22) o projeto de lei n° 050/2019 do deputado Pablo Lourenço (MDB/AC), que possui como objetivo a proibição do cativeiro de animais criados para entretenimento público. Os membros da comissão concordaram que as situações degradantes que alguns zoológicos submetem os seus animais devem ser levadas em conta; entretanto, o contato de crianças com os animais cumpriria funções educativas, uma vez que promove instrução e empatia com o diferente, como relatado pelo deputado João Victor Mota (PT/SP).

O deputado Daniel Contreira do PT/PB em seu discurso contrário à aprovação do projeto afirmou “atire a primeira pedra quem nunca foi criança e perdeu o sono por ir ver um leão no dia seguinte”, defendendo a importância dos zoológicos para os pequenos. Segundo o parlamentar, votar a favor do projeto é votar contra os animais, uma vez que as espécies ameaçadas de extinção, que são abrigadas pelos zoológicos, estariam a mercê da de caçadores devido ao enfraquecimento dos órgãos de proteção ambiental no Brasil ao longo dos últimos anos.

 O líder do Partido dos Trabalhadores, Matheus Freitas, disse estar surpreendido com o prolongamento da discussão, tendo em vista as diversas motivações que foram apresentadas para que o projeto não fosse aprovado e a repetição dos discursos favoráveis dos parlamentares. Muitos deputados ainda questionaram a razão do projeto de lei estar sendo discutido dentro da Comissão de Educação e Cultura.

O autor do projeto solicitou que os parlamentares contrários apresentassem emendas em que suas críticas estivessem expressas, porém o parecer, que era pela aprovação, foi rejeitado pela comissão.

Compartilhe: