Em nota, Frente Parlamentar da Legítima Defesa manifesta discordância em relação à Bancada Progressista

Mediante discussões que aconteceram durante a sessão no Plenário desta quinta-feira (19) em torno do PL 107/2017, os deputados Cristoffer Ramires (PSDB) e Matheus Menck (PSB) procuraram a imprensa para publicação de nota. O referido projeto é de autoria da ex-deputada Nailah Neves e cria a Comissão Nacional da Verdade sobre a Escravidão Negra.

Segue a nota na íntegra:

Em nome da frente parlamentar da legítima defesa, viemos denunciar e mostrar nossa indignação frente ao posicionamento antidemocrático proferido por alguns membros do bloco progressista, que nas comissões e até mesmo no plenário insistem sistematicamente em tolir a livre manifestação de pensamento e de ideias, haja vista que são princípios basilares da democracia e da declaração universal de direitos humanos. Nesse sentido, gostaríamos de proferir o seguinte comunicado:

Discordamos veementemente de alguns argumentos trazidos à tona pela referida bancada, por exemplo “você não tem útero então não tem voz para discutir o aborto”, e “por ser branco você não pode opinar”.
Deputado Cristoffer Ramires (PSDB) e Deputado Matheus Menck (PSB)

Compartilhe: