João Becker rompe com PSL e fica sem partido

Deputado federal João Becker discursando em comissão na Câmara dos Deputados

Após semanas agitadas, o deputado federal João Becker (sem partido/SP) concedeu sua primeira entrevista depois de ter saído do PSL. Inconformado, o parlamentar esclarece que optou por deixar a sigla devido aos constantes conflitos ideológicos com os membros de seu antigo partido, principalmente com Isac Arcanjo (PSL/PR) e Juliana Braúna (PSL/RS). “Estou sem partido porque não vejo nenhum que represente, de fato, o povo brasileiro. Infelizmente, muitos políticos lutam por interesses próprios. Também é importante destacar que o PSL não respeita opiniões contrárias nem segue a cartilha conservadora”, disse.

Além disso, o parlamentar afirma que Braúna pediu para que ele se retirasse do partido. Ao ser questionada sobre o ocorrido, a deputada disse que chegou a indagá-lo sobre sua vontade de permanecer no PSL, mas salientou que não o expulsou da sigla. “Perguntei a ele: ‘já que está tão insatisfeito [com o partido], a ponto de nem conseguir conversar com os membros da sigla, por que não se retira?’ Ele tomou isso como verdade absoluta e disse que eu estava o expulsando. De qualquer forma, nós [do PSL] acreditamos que a desfiliação foi precipitada e não me oponho a um possível retorno dele”, afirmou.

O atual líder partidário do PSL, Isac Arcanjo, declarou que a saída do parlamentar se deu por conta de sua irredutibilidade. Ele também pontua que o deputado foi procurado para que eles conseguissem estabelecer um ponto em comum. No entanto, Becker afirma que essa declaração de Arcanjo não condiz com a realidade dos fatos. “Ele é mentiroso quando diz que fui irredutível, uma vez que o apoiei e mediei [as negociações] para que pudéssemos ter uma liderança eficiente”, reiterou.

Conforme previsto no Regimento Interno do Politeia (RIP), Becker não pode retornar ao PSL nem se filiar a qualquer outro partido político nesta legislatura. Questionado sobre seu futuro político na Câmara, ele afirmou que pretende se candidatar ao cargo de presidente da Casa e, além disso, informou que apresentou à organização cerca de 30 projetos de lei para serem deliberados neste ano.

Compartilhe: