Mário Lopes assume a liderança da Frente Parlamentar em Defesa do SUS

Imagem: arquivo pessoal

Na última quarta-feira, 14, os membros da Frente Parlamentar em Defesa do SUS elegeram o deputado federal Mário Lopes (PSL/PR) para liderar a organização nesta legislatura. O parlamentar venceu a eleição com 61,1% dos votos, enquanto João Becker (Sem partido/SP), seu único adversário na disputa pelo cargo, recebeu apenas 38,9% dos votos.

Após ser eleito, Lopes declarou que “a proposta é de que a Frente atue com representatividade no Parlamento e em toda a sociedade, sendo um ponto de apoio aos parlamentares na divulgação e no debate de ideias relacionados ao Sistema Único de Saúde”.

O deputado também afirmou que um de seus principais objetivos no cargo é garantir que a Frente “defenda a dignidade da pessoa humana, por meio da defesa do direito fundamental à saúde, utilizando o SUS como instrumento; além de assegurar que a associação será propositiva, aberta ao diálogo e pautada no respeito e na ética das relações, seguindo todas as orientações do Projeto Politeia”.

Conflito após a eleição

Depois da divulgação do resultado, João Becker pediu informalmente a anulação da eleição. De acordo com ele, o sistema computou dois votos do mesmo parlamentar. Após a denúncia, o deputado federal Davi Alexandre (MDB/SC), responsável por conduzir e apurar a eleição, esclareceu que todos os parlamentares tiveram acesso aos procedimentos da votação de forma detalhada. Ele também informou que apenas a última resposta do candidato que votou duas vezes foi validada.

Preocupado com a situação, o deputado federal Walas Júnior (MDB/RJ) se manifestou dizendo que a desconfiança de Becker sobre o resultado das eleições para a liderança da Frente Parlamentar em Defesa do SUS pode gerar ruídos na Casa. “A intervenção dele [Becker], ainda que dentro de seu direito de dúvida, gera conflitos, especialmente devido ao histórico do candidato”, afirmou o parlamentar exclusivamente para o Jornal O Politeia.

Questionado sobre o assunto, João Becker também se manifestou. Segundo o deputado, “o PSL [partido de Mário Lopes] não consegue dialogar com ninguém e o partido insiste em dominar um espaço que já perdeu”. E apesar do pedido de anulação, ele elogiou o trabalho de Davi Alexandre na apuração dos votos e na organização da eleição, mas reforçou que todo sistema tem falhas e que não dá para saber se realmente houve a anulação de um dos votos repetidos. Apesar da situação, o parlamentar afirmou que torce para que a Frente Parlamentar em Defesa do SUS seja apartidária e justa.

Compartilhe: