Progressistas lutam pelo comando de cinco comissões

Bloco Progressista formado pelos (da esquerda para direita) Dep. Henrique Mecabô (PP), Dep. Diego Pimentel (PSD), Dep. Thaís Cardoso (PT), Dep. Ludmila Brasil (PT), Dep. Caio Leal (PDT), Dep. João Victor Tocantins (MDB), Dep. Nathalia Uchôa (PDT) e Dep. Mariane Moreira (PR). Foto por Julia Moraes.
Bloco Progressista formado pelos (da esquerda para direita) Dep. Henrique Mecabô (PP), Dep. Diego Pimentel (PSD), Dep. Thaís Cardoso (PT), Dep. Ludmila Brasil (PT), Dep. Caio Leal (PDT), Dep. João Victor Tocantins (MDB), Dep. Nathalia Uchôa (PDT) e Dep. Mariane Moreira (PR). Foto por Julia Moraes.
Bloco Progressista formado pelos (da esquerda para direita) Dep. Henrique Mecabô (PP), Dep. Diego Pimentel (PSD), Dep. Thaís Cardoso (PT), Dep. Ludmila Brasil (PT), Dep. Caio Leal (PDT), Dep. João Victor Tocantins (MDB), Dep. Nathalia Uchôa (PDT) e Dep. Mariane Moreira (PR).
Foto por Julia Moraes.

Após reunião do Colégio de Líderes, realizada na tarde deste sábado (14), parlamentares do Bloco Progressista expuseram as comissões pelas quais têm interesse em presidir: Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM), Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF), Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO) e Comissão de Educação (CE). Questionados sobre a disputa de comissões, acreditam que será definida através do voto e não por especulações.
Desde o início, o bloco tem como prioridade a CSSF. A indicação para presidente da Comissão é a deputada Jamille Guedes (PR), que na edição anterior foi Secretária da Mulher. Além de ter a CSSF como foco, os deputados acreditam que todas as outras comissões indicadas terão a presença de parlamentares do bloco.

Para a CDHM, os progressistas adiantaram a indicação de Lara Malta (MDB) para a presidência da comissão. Acreditando que ela seja construtiva em todos os debates oferecidos ao longo da semana.

 

Reformulação do Código de Ética

Um local de debates e críticas no Politeia é a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO), porque em outras edições houve violações do Código de Ética nessa comisão, com parlamentares atuando com desrespeito. Com isso, os progressistas têm como objetivo politizar o debate nessa comissão, enriquecendo as discussões.

A deputada Ludmila Brasil (PT) comenta sua satisfação com a reformulação do Código, porque este objetiva se aproximar do regimento da Câmara dos Deputados, evitando o desrespeito existente dos parlamentares efetivos.”Tava na hora já do Politeia começar a se atentar ao Código de Ética da Câmara, até porque nem a gente se atentava direito até a última simulação”, comentou.

 

Presidência da Casa

O Bloco Progressista apoia o deputado Caio Leal (PDT) para presidência da Casa, contanto com sua experiência em cinco edições do Politeia. “O Caio é muito engajado com o projeto e vem nessa meia década tentando fazer de tudo para que a Casa tenha algum progresso. Principalmente na questão do debate do processo legislativo e o conselho pedagógico do projeto”, afirma o deputado João Victor Tocantins (MDB).

Os votos para os cargos da Mesa (presidente, dois vice-presidentes, quatro secretários e secretária da Mulher) estão sendo apurados e o resultado deve ser divulgado logo mais. Ainda na tarde de hoje, serão eleitos os presidentes e vices das comissões temáticas.

Compartilhe: