Silêncio absoluto marca a reunião matinal da CCTEC

Depois de 50 minutos de quietude na Comissão de Ciência, Tecnologia, Educação e Cultura (CCTEC), o presidente Mário Lopes (PSL/PR) anunciou a razão do não prosseguimento das pautas da comissão. “Esperaremos alcançar a quantidade mínima de 12 deputados para continuarmos, caso contrário, faremos nessa comissão uma reunião não-deliberativa”, justificou.

O deputado federal João Becker (sem partido/SP) denunciou que alguns deputados estariam travando o andamento da CCTEC. “A comissão está sendo travada por quatro parlamentares para o não andamento dos trabalhos, mas o presidente não quer admitir isso”, reclamou o político.

Um consenso se formou no momento em que Lopes solicitou a Becker para que entrasse em contato com parlamentares que não haviam aparecido. Às 10h23min, o presidente da CCTEC propôs um acordo de procedimento para que, passados 30 minutos, o quórum da reunião fosse reduzido a dez deputados.

A deputada Bianca Santos (PSB/PE) lamentou o ocorrido ao Jornal O Politeia. “Muitos deputados se ausentaram sem prestar justificativas, o que me entristece, já que impede o debate tão necessário”, disse.

O vice-líder do Democratas, Bruno Torquatto (DEM/MG), afirmou que “por conta da falta absurda de quórum,  teremos a quantidade mínima de deputados reduzida. O presidente Mário tem conduzido [a sessão] de forma excelente, ouvindo e acatando meu pedido para aguardar o quórum”.

Apenas um projeto foi aprovado em cada um dos dois turnos (matutino e vespertino). Às 15h19min, o quórum da reunião se esvaziou novamente, então, Sousa decidiu suspender a reunião por mais 10 minutos.

Quando a sessão foi retomada, os deputados da comissão enfrentaram outro obstáculo procedimental. Márcio Sousa, no controle da CCTEC, disse que estavam ocorrendo tentativas de obstrução de matérias. 

Segundo ele, essas tentativas de obstrução estão relacionadas às discordâncias em relação às matérias e também aos conteúdos das proposições. “É uma prática comum, dentro das regras do jogo mas, fica ruim para a imagem da comissão”, observou o vice-presidente.

Em relação à ausência de deputados, Sousa relatou que os mesmos deixaram de passar na CCTEC para marcar sua presença. “A obrigação era, primeiramente, passar na CCTEC, registrar presença, acompanhar os trabalhos e sair apenas no momento em que minha proposição começasse a ser deliberada”, destacou. 

 

Compartilhe: